institucional

história

Em 1968, o prefeito de São Caetano do Sul, Walter Braido, convidou Milton Andrade para idealizar um projeto de um polo cultural no município. Como o lema da gestão de Braido era “São Caetano do Sul, onde a escola não é problema”,  Andrade propos criar uma escola de artes, onde se pudesse promover a formação de artistas nas áreas de música, dança, teatro e artes visuais. A aceitação do projeto por Braido foi imediata e, assim, começava a nascer a Fundação das Artes de São Caetano do Sul, da qual Milton foi nomeado diretor geral, cargo que ocupou por 14 anos (em outro momento foi, também, secretário executivo do Departamento de Educação e Cultura da Prefeitura). Dava-se, dessa forma, o encontro entre a vontade política demonstrada por Braido e a paixão pela arte e sua expressão social de um dos principais líderes artísticos do Grande ABC, Milton Andrade.

Inicialmente, o projeto foi pensado como um centro de formação de artistas e, em 25 de abril de 1968 é, então, inaugurada a Fundação das Artes de São Caetano do Sul, sendo implantados os cursos de música (abril), teatro (junho) e artes visuais (outubro). No ano seguinte foi a vez do curso de dança. A representatividade, conquistada logo de início junto aos admiradores da arte no ABC, colocou a FASCS em posição de referência artística de ensino.

No início da década de 80, além da dificuldade financeira, a Fundação passa pela crise do desinteresse de novos alunos a se candidatar aos cursos oferecidos pela instituição. “Há um objetivo central que é claro: criar e manter escolas de arte”, dizia Andrade.

Como esperado por ele mesmo, foi neste momento de desafios que, depois de dirigir a FASCS durante 14 anos, Milton Andrade é demitido por Braido, em 1983. O indicado para direção geral da FASCS foi o professor de música Roberto Manzo.

Numa tentativa de virada, para superação da(s) crise(s), em 1985, a instituição estava pronta para um salto muito importante: o lançamento dos cursos profissionalizantes.

Esses cursos são implantados nas escolas de música (dois: habilitação em instrumento e em canto) e na de teatro (apenas habilitação profissional de ator, hoje, técnico em arte dramática). Dezenas de artistas passaram por eles no último quarto de século, espalhando-se por todas as áreas de criação a que as respectivas habilitações permitam. E o efeito benéfico foi o de, antes de tudo, espalhar e marcar o bom trabalho realizado na FASCS. Uma das – bem-vindas – consequências disso foi a incursão de nossos ex-alunos, uma vez formados, no território da pedagogia da arte. Foi assim que começou a ser cada vez mais comum recebermos, como professores, artistas que aqui vieram, em primeiro lugar, para aprender.

A FASCS é das mais antigas instituições dedicadas ao ensino de arte, em contínua atividade, no Estado de São Paulo. Isso é decorrência da história, que não tem como ser realmente planejada.


missão

Conceito de trabalho da Fundação das Artes:

Artista
cidadão
Diciplina
ética
Ensino
estudo
Prática
teoria

Com total apoio na Ética e tendo como método a Disciplina, utilizamos de forma igual e consciente tanto a Prática quanto a Teoria para, por meio do constante jogo entre o Ensino e o Estudo, participarmos decisivamente da formação do Artista-Cidadão.


estrutura de adiministração

Estruturas
A FASCS atende ao público com o ensino de artes (sua produção artística é derivada diretamente da atividade pedagógica) e é regida por um Conselho de Curadores, e sua administração direta fica a cargo da Direção Geral.
Por meio dos recursos pedagógicos necessários, a FASCS cumpre seus objetivos em duas vertentes: a Iniciação Artística e a Formação Artística. A primeira procura o aprimoramento de crianças de 5 a 10 anos, por meio do autodomínio e do desenvolvimento da percepção, do controle motor, da criatividade e da convivência grupal. Já a segunda visa à orientação para preparar artistas nos seus vários campos de atividade.

Estrutura Acadêmica
Sob este ponto de vista, a Fundação das Artes é formada por quatro Escolas: Artes Visuais, Dança, Música e Teatro. A função principal, nesse aspecto, é prestar serviços à comunidade no campo do ensino da arte. E sendo a comunidade o conjunto de representantes de todas as camadas da sociedade, nosso objetivo é atender, sempre, ao maior número possível de pessoas.

Ensino da Arte e Educação Estética
Desde sempre podemos afirmar que nossas atividades acadêmicas são, na verdade, o nosso programa de trabalho. A Fundação das Artes sempre foi conhecida e respeitada pelos serviços prestados na área de ensino de Artes Visuais, Dança, Música e Teatro. Com um corpo docente qualificado e com cerca de 4.000 alunos atendidos em seus cursos, a Fundação oferece formação artística em vários níveis.
A escola de Dança recebe os interessados a partir dos 3 anos de idade; Artes Visuais e Música a partir dos 5 e Teatro a partir dos 7 anos. Todas as áreas contam com a prática artística em diversas modalidades. Em Teatro e Música, também oferecemos formação profissionalizante. Acreditamos e investimos em ensino continuado, interdisciplinaridade e inclusão, visando uma formação não apenas técnica mas, fundamentalmente, humanística e abrangente. Semestralmente, a Fundação realiza testes classificatórios para o ingresso de novos alunos. As inscrições ocorrem sempre nos meses de junho e novembro e os testes nos respectivos meses subsequentes.